Arquivo da tag: Cinema

Cinema: Amistad (1997)

“Amistad”, ou amizade, é o nome do navio negreiro que dá título ao filme de Steven Spielberg, lançado em 1997. A película é baseada em uma história real ocorrida em 1839. Nessa data os escravos que eram transportados da África se rebelam e assumem o comando do navio. Entretanto, como desconheciam os mecanismos de navegação, numa frustrada tentativa de voltar ao seu país de origem, acabam sendo capturados por um navio americano na costa dos Estados Unidos.

Talvez o que mais chame a atenção no filme seja a forma brutal em que os negros eram tratados durante o transporte transatlântico. Os escravos eram mantidos sob péssimas condições. Recebiam pouca comida e água, sofriam estupros, e eram mantidos acorrentados em espaços muito pequenos. Além disso, muitos contraiam doenças que, naquelas condições, eram fatais. Poucos conseguiam sobreviver à viagem.

No caso do “La Amistad”, os escravos acabam indo a julgamente, inicialmente pelo assassinato  da tripulação, porém, quando o caso ganha vulto, chegando a suprema corte, um jogo de interesses se coloca acima da liberdade dos indivíduos, sendo que a coroa espanhola, os traficantes de escravos e os comerciantes americanos reclamavam o direito de posse sobre os escravos. A partir desse quadro o ex-presidente John Quincy Adams deixa sua aposentadoria para defender os africanos, assumindo uma posição abolicionista.

O filme acompanha toda a longa batalha judicial que se deu por sobre a questão, e a trajetória do grupo de 53 negros, desde o seu aprisionamento por traficantes de escravos até o retorno ao continente africano. Dá ainda mostras de um antagonismo norte-sul que desembocaria na Guerra Civil Americana poucos anos depois.

Cinema: Jornada pela Liberdade (Amazing Grace: 2006)

O filme “Jornada Pela Liberdade” (Amazing Grace, 2006), do diretor Michael Apted, conta a história da luta pelo fim do tráfico negreiro na Inglaterra do século 18. O filme é uma biografia de William Wilberforce, membro do parlamento inglês que enfrentou a aristocracia, lutando por uma reforma social na Europa. Durante esta jornada, Wilberforce encontra oposição intensa dos que acreditavam que a escravidão estava diretamente ligada à estabilidade do império britânico. Wilberforce encontrou em seu amigo William Pitt – o mais jovem primeiro ministro da Inglaterra – um forte aliado; ambos se opunham à escravidão por razões morais. Wilberforce liderou os militantes abolicionistas protestantes chamados de “Os Santos” (The Saints).

É importante ressaltar que William Wilberforce não foi uma voz isolada, mas um representante de toda uma grande parcela da sociedade que estava desejosa de por fim à escravidão. Mesmo economistas, e entre eles Adam Smith, já viam a escravidão como deficitária, na medida em que empregava uma enorme quantidade de capital humano, mas que produzia muito aquém daquele gerado por homens livres. A emergência da sociedade industrial demandava o fim do sistema escravista.